Review: Soul Bubbles

Falta de jogo bom = DS parado = Falta de assunto pra postar aqui. Simples assim. Não preciso complicar a explicação do blog ter criado fungos.

Mas aconteceu algo inesperado. Estava eu, desmotivado e sem vontade de cantar uma bela canção, em mais uma das minhas visitas diárias a alguns blogs e fóruns, quando eu entro na NDSBrasil e vejo um tópico. Mas não era um tópico qualquer, este tópico tinha um “Saiu” no começo do nome, seguido de uma numeração entre parênteses. Tá, era um tópico anunciando o lançamento de mais um jogo de DS, como tantos outros. Pelo nome, “Soul Bubbles”, não parecia se tratar de um RPG, então abri o tópico. Olhei as imagens: em uma, um velho sentado; em outra, uma criatura voando e uma bolha enorme no meio da tela. Parecia ser tosco.

Parecia.

ArtBox

Review: Soul Bubbles

Só para já deixar minha opinião no começo da review: O jogo é mafagaficamente phoda. Sua phodacidade é proporcional à dor que deve causar uma picada de ornitorrinco no meio…da hemorróida. Convencido? Então abra uma aba no seu Firefox e compre o jogo com o vendedor de fórum mais próximo (a NDSPage não incentiva a pirataria, por isso recomendamos que você compre do Fnord de um vendedor de fórum à seu gosto =]). Se ainda tiver dúvidas, olhando as imagens do jogo que estão aí embaixo, continue lendo.

Vou tentar não enrolar: Você começa o jogo vendo um velho com visual de jogo em Flash falando coisas sobre controlar o vento e tal. Aí ele te manda soprar no microfone. A essa altura você deve ter deduzido que durante o jogo terá que guiar um bolha, soprando e controlando ela sabe-se lá como. Ráá, deduziu errado.

Depois do velho falar o que tem que falar (não esquenta, é coisa rápida), tu começa a iniciação para poder controlar o vento e guiar a bendita bolha. E agora chega a parte que você queria saber: Não, você não precisa soprar. A bolinha é guiada com a caneta (ou Stylus, para os mais chiques): Você arrasta a caneta na tela, e o vento sopra para onde você arrastou. Simples assim. Mas calma, ainda tem mais coisa.

Ao longo da iniciação, o velho (que sempre está sentado, bicho preguiçoso) te dá umas máscaras. São 3, sendo que cada uma delas dá ao herói um poder diferente. A primeira, que é acionada com o botão A ou a seta direita do direcional (para a maioria destra), dá o poder de cortar coisas, como plantas que grudam na bolha e até a própria bolha, além de servir para juntar duas bolhas, arrastando a caneta do centro de uma até o centro da outra. A segunda, acionada com o botão Y ou a seta esquerda, dá o poder de desinflar bolhas, para diminuir o tamanho delas. Por último, mas não menos importante, temos a máscara acionada com o botão X ou a seta superior, que serve para criar novas bolhas (mas não pense em sair criando bolhas e deixando-as para trás, pois há um limite de bolhas que podem ser criadas). O botão B ou a seta inferior servem para abrir o mapa na tela de baixo, aí é só clicar no lugar desejado do mapa e você vai parar onde clicou (mas você só consegue ver as partes do mapa que já passou, claro). Os controles do jogo são esses, nenhum botão a mais. Viu como é simples?
Controles simples e jogabilidade perfeita, num jogo em que a dificuldade vai mudando de pouco em pouco para cada fase. As primeiras fases são fáceis e curtas, sendo que três ou quatro minutos (ou menos) é tempo suficiente para coletar todas as estrelhinhas e trecos que têm espalhados pela fase. A dificuldade vai aumentando ao longo das fases e começa a ser normal demorar seis, sete, dez minutos (ou mais) para conseguir coletar tudo e chegar no final. Mas o jogo é viciante a ponto de se jogar várias fases seguidas e pensar que não se passou nem 5 minutos.
E sobre os trecos coletáveis das fases, eles te atrasam muito a vida. Ao passar das fases, eles ficam cada vez mais difíceis de se achar. Alguns eu até agora não faço idéia de onde estão… Mas eu sou noob, liga não.
Vou falar dos gráficos agora, coisa que todo mundo leva em conta, por mais que alguns digam que não importa. Por onde eu começo aqui? Bom, lembra que eu falei que o velho tinha visual de jogo em Flash (de onde eu tirei isso?!)? É, só ele. Os mapas tem uma variedade de cores bastante grande, parecem pinturas. E detalhes, como pétalas de flores que desgrudam dos miolos e saem voando junto com o vento, ou folhas penduradas que balançam, tudo isso acompanhando a direção do sopro do herói, deixam tudo mais lindo. E os inimigos que morrem viram flores, deixando o cenário ainda mais gay bonito! Ah, e a bolha! Aaah, a bolha! É tão lindo³³³ ver aquela coisa meio transparente se esticando, comprimindo e pegando o formato da lateral da parede quando passa em lugares estreitos, sem perder o volume. Tudo muito natural.

A variedade de fases é boa, mas poderia ser melhor. Algumas fases acabam sendo muito parecidas, sem muita coisa nova, o que tira um pouco (um pouquinho só, quase nada) do brilho do jogo e nos faz lembrar que já estamos jogando a mais de 1 hora, e não a 5 minutos.

Sobre a parte sonora, não tem muito o que falar. Ela não fede nem cheira, apenas está lá. Nem tem muita variedade. O que reparei mais nessa parte foi no som que cada estrelinha faz quando a bolha passa por elas, formando até umas musiquinhas de vez em quando. Mas com um jogo phodão desse, a falta de músicas reparáveis nem é tão importante!

Conclusão: O jogo é mafagaficamente phoda. Os gráficos são bonitos e a jogabilidade é perfeita, perfeita mesmo. O jogo de DS que mais me viciou, depois do Ouendan 2! Como a Nintendo não pensou nisso antes?

Imagens:

Advertisements

7 Responses to Review: Soul Bubbles

  1. pedroion says:

    AWiiSOME!
    Mandou bem neutronx!
    E o blog vive novamente! YAY!

  2. Derfel says:

    Belo review.
    Gostei do “mafagaficamente”. hehe
    Vou comprar.

  3. xxdrummerxx says:

    Belo review neutronx….jah “comprei” assim que chegar em casa vou jogar…mta expectativa!!

  4. Neutronx says:

    Valeu pelos comentários o/
    Drummer, pode jogar sem medo, só presta atenção na luz verde do canto do DS, senão a bateria pode acabar e vc nem perceber xD
    PS: Quase aconteceu isso comigo xD

  5. Pedro says:

    nossa, eu não acreditei quando fiquei 3 horas jogando, procurando os “amendoins”. Maneirão mesmo!

  6. […] para terminar. Aí bateu uma brisa gelada de desânimo, mas como não estava a fim de zerar o Soul Bubbles (é, eu não zerei ele ainda) e tinha cansado de jogar Doodle Hex, resolvi que começaria a jogar […]

  7. I could not think you are more right

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: